CASA COR RIO MISTURA PASSADO

E PRESENTE EM CASARÃO NA GÁVEA

paola-ribeiro_living-04

Paola Ribeiro faz um mix de estilos e conceitos no seu living da Casa Cor Rio: clássico e contemporâneo, aconchegante e sofisticado, peças de design assinado e de antiquários

A CASA COR Rio abre na próxima terça-feira (11 de outubro) em um icônico casarão da Gávea e traz mais uma vez uma proposta de descontração com o olhar bem carioca de viver bem. A “casa rosa”, como é conhecida na Gávea é uma construção de 1938, em estilo eclético, com terreno de 5 mil m² e 1 mil m² de área construída, pertencente à família Rocha Miranda, que durante quase 40 anos viveu ali recebendo amigos em grandes comemorações. Até 20 de novembro, 67 dos melhores arquitetos, design de interiores e paisagistas cariocas assinam 45 ambientes, entre internos e externos – aproveitando o enorme jardim assinado por Burle Marx e recantos bucólicos como um lago e uma fonte.
“Os imóveis já são um atrativo por si só, o que torna a edição carioca, a cada ano, sempre única”, diz Patrícia Mayer que aposta em um público de 55 mil pessoas. “Em uma casa como essa temos uma dimensão mais real das soluções dos arquitetos, pois os ambientes, apesar da grandiosidade da casa, não fogem à realidade e podem servir de inspiração a todos os que visitam a CASA COR Rio”, complementa Patrícia Quentel. Veja a seguir uma seleção de espaços da mostra/ Fotos de André Nazareth

Varanda – Maurício Nóbrega

mauricio-nobrega_varanda-02

Uma varanda-spa com piscina, ducha com cascata refrescante e deck. Lugar para quem sabe viver – e que sintetiza o estilo próprio de morar do carioca. O arquiteto enfatizou um contraste como proposta do espaço: um lounge que mistura mobiliário atual a peças de antiquário. Atrás, o deck com três piscinas em fibra pastilhada da iGUi, em alturas diferentes, e um grande banco com um nicho para fogo.

Adega – Jacira Pinheiro

jacira-pinheiro_adega-02

No subsolo do casarão, a adega original (com paredes e teto abobadado em tijolos) foi o ponto de partida para todo o projeto. A simplicidade e beleza do espaço de 18 m² impressionam. Jacira assina não só a adega, mas o estar que leva a ela, no piso térreo. O mix de peças de design moderno e contemporâneo (Zanine Caldas, Sergio Rodrigues, Ingo Maurer, Guilherme Wentz…) e outras de antiquário promove a união entre passado e presente.

Sala de Jantar – Gisele Taranto

gisele-taranto_sala-de-jantar-02

A sala de jantar criada por Gisele Taranto mostra a multiplicidade de usos para o mesmo espaço. “Sou inquieta e questionadora. Quero tirar as pessoas de suas zonas de conforto, provocar reflexão. Por isso estamos trabalhando os diversos usos de uma sala de jantar”, diz. Portanto, a sala servirá para refeições, mas também para trabalho, reunião, religião… e sexo.  “Para cada tema teremos elementos surpresa durante todo o evento”, instiga a arquiteta. Instalações criadas especialmente por artistas, designers e colecionadores, de acordo com os temas, vão surpreender a cada semana do evento.

Sala da Malu Joy Garrido

joy-garrido_sala-da-malu-09

Guilherme Guimarães foi considerado o maior estilista e símbolo de elegância do Brasil nos anos 1960. Não à toa, vestia dona Malu da Rocha Miranda a proprietária original da casa, reconhecida por seu bom gosto. Foi daí que Joy Garrido partiu para criar este espaço feminino – misto de escritório, sala íntima e quarto de vestir misturando o clássico e o contemporâneo, sem se importar com tendências ou modismos. Peças de antiquário convivem muito bem com móveis dos irmãos Campana, do estudiobola, de Jader Almeida, com o lustre da Moooi…

Adriana Valle e Patricia Carvalho

adriana-valle-e-patricia-carvalho_quarto-do-casal-04

Adriana Valle e Patricia Carvalho  assinam o quarto de 40 m², com vários ambientes integrados. “Queremos que seja uma parte da casa onde o casal possa, e queira, passar o dia inteiro”, explica Adriana. Há o canto de dormir, de ler e relaxar, estar e escritório… Tons naturais (branco, cinza, cru e fendi), com pinceladas de azul e amarelo servem de moldura para peças de Isay Weinfeld, Aristeu Pires, Maria Cândida Machado, Etel Carmona, que convivem em harmonia com peças de antiquário.

Sala de Almoço – Marise Marini

marise-marini_sala-de-almoc%cc%a7o-02

A arquiteta uniu o clássico e o contemporâneo, com influência francesa  para ambientar a sala de almoço da família. “É um ambiente que pode estar tanto em uma casa na serra como em um apartamento na cidade”, diz Marise. Marcenaria, paredes em tijolo aparente, piso vinílico com aparência de madeira, móveis contemporâneos pontuados por peças de antiquário: tudo remete ao aconchego.

Cozinha – Bianca da Hora

bianca-da-hora_cozinha-02

Uma cozinha é também lugar de conversas, trocas e experimentações. Para Bianca da Hora, lugar também para homens e foi para eles  – gourmets e chefs de ocasião – que a arquiteta criou seu projeto. “É um lugar de estar. Uma cozinha moderna, com acabamento de ponta, integrada e equipada para quem gosta de receber”, conta. O tom masculino aparece nas cores: variações de cinza. E o mobiliário acompanha: armários com acabamento que parece metal oxidado, adega climatizada feita sob medida e uma estante feita com vergalhão, desenhada pela arquiteta.

Mercearia da Casa – Paula Neder e Luiza Pedral

paula-neder-e-luiza-pedral_mercearia-da-casa-02

O Emporium fica em uma edícula e anexa ao casarão. No ambiente das arquitetas – interno e externo, sobre o deck assinado pelo paisagista Raphael Costa Bastos – o clima é de uma mercearia acolhedora e moderna. “Parece um cantinho mágico do jardim”, diz Paula que, junto a Luiza, explora o conceito de contemporaneidade Assim, pastilhas sextavadas convivem com as paredes descascadas, mostrando os tijolos maciços originais; o armário francês de antiquário está lado a lado com mobiliário contemporâneo assinado por Carlos Mota, estudiobola, Molio Design e Dona Flor, entre outros.

Cabanas – Duda Porto

duda-porto_cabanas-03

No gramado do casarão, um recanto se destaca: o loft em cimento, madeira e vidro, uma casa na árvore e uma casinha de cachorro. Com criatividade e sempre equilibrando estética e funcionalidade o arquiteto lança na mostra seu novo projeto. O protótipo de um empreendimento imobiliário que serve tanto para residências como para hotéis: uma casa em módulos que podem se conectar e ampliar de acordo com a vontade e a necessidade. Em linhas retas e minimalistas, a casa é realmente sustentável: construção que não deixa resíduo e tem desperdício zero; madeira de reaproveitamento; ventilação cruzada; captação de água da chuva para reutilização; e energia solar.

Pátio Modernista – Patricia Marinho e Manuèle Colás

patricia-marinho-e-manuele-colas_patio-modernista-03

Todo o projeto partiu do mural de azulejos do arquiteto Noel Marinho, que integrou a nata da arquitetura brasileira moderna ao lado de Lucio Costa e Oscar Niemeyer. “O ambiente foi idealizado em torno do mural, no sentido que a obra artística está totalmente integrada à arquitetura”, explica Patricia Marinho, filha do arquiteto, que assina o espaço com Manuèle Colás. É um ambiente que integra interior e exterior, arte e design, natureza e arquitetura. Um espaço de descanso e contemplação, protegido de sol e chuva por um toldo retrátil e com a madeira bastante presente, ao lado de tons de cinza, off white, caramelo, azul água e toques de amarelo.

Lavabo da Praia – Jean de Just

jean-de-just_lavabo-da-praia-01

O arquiteto francês Jean de Just descobriu o Brasil. Depois de se formar em arquitetura pela Ecole Speciale d’Architecture, em Paris, trabalhar com renomados arquitetos e designers, e de restaurar marcos históricos parisienses como o Grand Palais, o Palais Royal e a Ópera Garnier, Jean se apaixonou pelo Brasil, onde chegou em 2014. Seu petit coin – uma charmosa designação para lavabo – é a mistura de seu passado francês e seu cotidiano carioca: com muitas peças desenhadas por ele (como as sancas, bancada e abajur em gesso; pendentes em madeira e ferro, desenho para as paredes), cortinas bordadas com papagaios dividem espaço com um móvel francês Serge Roche, dos anos 1930.

Espaço Deca – Márcia Muller e Manu Muller

marcia-muller-e-manu-muller_espac%cc%a7o-deca-03

Márcia e Manu, mãe e filha (e sócias), projetaram um espaço que tanto pode ser um ambiente corporativo (um quarto de hotel) como residencial (uma supersuíte); tem inspiração industrial nos materiais e toques de elementos artesanais que transformaram um espaço já existente, tipo galpão, em um ambiente \sofisticado e confortável, sem alterar quase nada… O contraste continua com a mistura de mobiliário contemporâneo com peças de antiquário, e até na piscina, com uma lareira na borda. Duas áreas externas, com balanços presos às árvores e mesa com grelha, levam o morador  para perto da natureza.

Empório Orgânico – Tiana Meggiolaro e Bia Lynch

tiana-meggiolaro-e-bia-mayrinck_emporio-orga%cc%82nico-02

“Barbas de bode” vindas das árvores de um Spa forram o teto, musgo artificial cobre uma parede e um revestimento simula pedras em outras; piso em lajota artesanal; tecidos de almofadas em fibra natural e futons com material reciclado. Estes são alguns detalhes do Empório Orgânico inspirado na filosofia do  Spa Lapinha, fundado em 1972 em Lapa, no Paraná. Um lugar paradisíaco que, entre outras coisas, preza a alimentação saudável.

Loja da Casa – Marina Breves

marina-breves_loja-da-casa-01

Sem medo de ousar, Marina mistura elementos originalmente opostos de forma natural e equilibrada. Assim, o novo está lado a lado com o antigo; o contemporâneo convive em sintonia com o clássico. “O público vai ver que a mistura de estilos pode criar uma dinâmica interessante, antes não pensada. Basta equilibrar os conceitos”, conta. Um dos destaques é a estante desenhada pela arquiteta, em cubos que permitem diversas montagens.

Lab Café – Carolina Escada, Patrícia Landau, Carolina Lerner, Gabriella Mello e Sabina Kalaoun

carolina-escada-patricia-landau-carolina-lerner-gabriella-alves-e-sabrina-kalaoun_lab-cafe-01

O espaço é um laboratório sensorial sobre o café. Para criar o ambiente, as arquitetas Carolina Escada e Patrícia Landau assinam espaço com Carolina Lerner, Gabriella Mello e Sabina Kalaoun, destacando a origem do grão e sua relação com a história do Brasil. Com ênfase nos produtos handmade, há acessórios artesanais e o mobiliário mistura o chique e o rústico, como cordas náuticas. A estrutura da fachada, em bambu e cordas coloridas, assinada por Celina Llerena, criou efeito 3D a uma estampa tribal.

About the Author

Celia PacciniView all posts by Celia Paccini

Copyright by Mix Editores Associados